Crítica: O Poderoso Chefinho

13:00


Amo animação e aproveitei que não tinha nenhum trabalho para fazer fui ao cinema assistir a nova aposta da DreamWorks Animation: "O Poderoso Chefinho", um filme que se passa na imaginação fértil de uma criança, um filme que pode parecer fofo, mas nem tão fofo assim!

Todo mundo sabe que a imaginação das crianças funcionam no 220, elas tem uma imaginação além da nossa, foi exatamente isso que o roteirista Michael McCullers (Uma mãe para o meu Bebê) fez na animação O Poderoso Chefinho, ele trouxe a imaginação de Francis, para criar uma aventura infantil.


Francis na maior parte do tempo se diverte muito com sua imaginação, ele foi filho único, até certo tempo, mas certo dia ele ganha um irmãozinho, que tem atitudes pra lá de estranhas, ele tenha descobrir qual é a do bebê, qual o segredo que ele esconde e só ele até então percebeu.


Pra você que acha que o filme é só para o público infantil está muito enganado, o diretor pega o lúdico infantil e faz referências a vários clássicos do cinema, como o próprio Poderoso Chefão, resumindo é um filme tanto para os pequenos e para os grandinhos.


Mesmo não sendo uma das melhores animações O Poderoso Chefinho trás várias lições para as pessoas, como que existem amor para ambos dos irmãos, não existe aquela história - que ama mais um do que o outro - e também vale ressaltar que a imaginação é o combustível para tudo.

Espero que tenham gostado.
Abraços e até o próximo post!

Sinopse: Um bebê falante que usa terno e carrega uma maleta misteriosa une forças com seu irmão mais velho invejoso para impedir que um inescrupuloso CEO acabe com o amor no mundo. A missão é salvar os pais, impedir a catástrofe e provar que o mais intenso dos sentimentos é uma poderosa força.

Roteiro: Michael McCullers
Gênero: Animação
Duração: 1h e 37min
Classificação Etária: Livre
Lançamento: 30 de Março de 2017

LUIZ EDUARDO

You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook

Flickr Images