Crítica: Doutor Estranho

13:00

Foto: CCINE10

Quando você vai ao cinema, precisa abrir a mente para receber o que o filme está propondo. Caso o contrário aconteça, você se decepciona apenas pelo filme mostrar o que você não esperava. Isso é um conselho para todos os filmes que você for assistir.

Depois da estreia em Novembro de 2016, muitas pessoas declaram Doutor Estranho como o melhor filme da Marvel. Outras, dizem que faltou pouco para esse título ser conquistado.  Mas o que faltou para ganhar esse título?

Foto: ei nerd!

O filme conseguiu transmitir a ideia dos quadrinhos sobre o “herói” ou mago Stephen Strange de uma forma quase inédita. Para isso, precisaram abusar de efeitos especiais incríveis, ousados e com pouquíssimas falhas, nada que impeça você de curtir o longa. Esses efeitos foram muito comparados com o filme The Inception (A Origem), que foi produzido por Christopher Nolan, muito bem recebido e comentado.

As cenas de ação também foram extremamente intensas e loucas, você pode se perder durante alguns momentos com as movimentações de cenários e trocas de dimensões, mas também não é algo que atrapalhe. Na verdade, não faz mal essas partes não serem entendidas, afinal, é o filme do Doutor estranho, não é mesmo?


E falando nele, o roteiro também foi preciso para descrever quem ele era e como ele agia. Arrogante, egocêntrico e exageradamente confiante, ele se achava isso tudo por realmente ser isso tudo. Entretanto, nós simpatizamos com o personagem por ele não ser alguém ruim e não fazer para as pessoas, mas não podemos esquecer que ele é interpretado por Benedict Cumberbatch, muito talentoso. O roteiro também trabalhou a sua relação amorosa com (Rachel McAdamns) de forma bastante leve, pois ela é útil durante o filme.

Foto: Adoro Cinema

Tilda Swinton e Madds Mikkelsen são precisos e transmitem as mensagens facilmente, isso ocorre pelo fato de os dois serem extremamente decididos e interpretarem as performances com confiança, sem falha alguma. A divergência entre os personagens deles, a anciã e o Kaecilius, ocorre no fato de que ela não perde a sua imponência e o bom humor, já ele é motivado e insistente, confia em suas atitudes.

Sobre o humor e as piadas típicas da Marvel é necessário que você tire as suas próprias conclusões. Há pessoas que dizem ter exageros e há pessoas que dizem ser na medida certa. Para mim, nenhuma piada foi extravagante e o filme não perdeu a sua seriedade. Na verdade, contribuiu para que a atmosfera séria de magia e responsabilidades tanto de Stephen quanto da anciã não pesassem tanto.

Foto: Adoro Cinema

Sem mais delongas, o filme tem a marca da Marvel e mesmo não sendo o melhor filme dela, pode ser considerado um dos melhores. É uma aventura do qual você não irá se arrepender. Dinheiro e tempo muito bem gastos. Há duas cenas depois dos créditos, então não saia antes do filme acabar!

Sinopse: Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) leva uma vida bem sucedida como neurocirurgião. Sua vida muda completamente quando sofre um acidente de carro e fica com as mãos debilitadas. Devido a falhas da medicina tradicional, ele parte para um lugar inesperado em busca de cura e esperança, um misterioso enclave chamado Kamar-Taj, localizado em Katmandu. Lá descobre que o local não é apenas um centro medicinal, mas também a linha de frente contra forças malignas místicas que desejam destruir nossa realidade. Ele passa a treinar e adquire poderes mágicos, mas precisa decidir se vai voltar para sua vida comum ou defender o mundo.


You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook

Flickr Images