Crítica: Águas Rasas

13:00

Foto: Adoro Cinema

Águas Rasas é um filme de 1h27 de duração e se passa em apenas um cenário e com apenas uma personagem principal, Nancy, interpretada por Blake Lively. Nancy perdeu recentemente a sua mãe e sente que precisa de um tempo. Para isso, ela vai para uma praia paradisíaca para surfar e é surpreendida por um tubarão.

Esse filme se destaca dos outros do gênero, pois é conduzido de forma inteligente. O roteiro é bem articulado, baseado basicamente em sobrevivência. Para isso, Nancy é apresentada de forma muito sutil e gostosa, assim como a praia. Há imagens de planos gerais e submersas na água, bem fechadas para conhecermos bem o local. Um personagem que passa rápido pelo filme explica sobre a maré, sobre os corais e as rochas. Tudo para o espectador ficar “inteirado” do que pode ou não acontecer. Como se não bastasse, Nancy faz faculdade de medicina. Ou seja, ela pode se cuidar um pouco, não é mesmo?

Foto: Adoro Cinema

Mas a fotografia excelente vai mudando aos poucos, de acordo com a situação. Começa com amarelo e vai tomando logo um tom azul. Não apenas pela melancolia, mas pela agonia, pelo desespero que o filme transmite. Ele deixa você apreensivo, já que, o tempo dela começa a acabar e ela precisa lidar com fome, frio e desidratação. Logo, a maquiagem dela é muito bem feita e merece destaque.

Foto: Adoro Cinema

O tubarão é muito bem feito. Não tem como você duvidar de que ele é real, muito diferente de outros os filmes do mesmo gênero. Às vezes que ele aparece e não aparece são bem selecionadas, sendo essenciais para a construção da tensão e do ar de terror/suspense do filme.

O diretor Jaume Collet-Serra deu um show em relação aos seus filmes anteriores. Ele é famoso por filmes como A Casa de Cera (2005) e a Órfã (2009).

Uma recomendação é não assistir aos trailers, pois lá já possui grande parte das imagens marcantes e você consegue compreender boa parte do filme.

Querem um bônus? Marco Beltrami ficou responsável pela trilha sonora do filme. Ele coloca as músicas muito bem durante o roteiro. A música animada, quando é interrompida, acaba também com a animação do telespectador e muda logo para o suspense. Para representar a época que estamos vivendo, o diretor abusa de tecnologias como câmeras e smartphones. E para completar tudo isso com a trilha sonora, a cantora escolhida é a Sia. Caso não tenha ouvido, o blog tudo passa recomenda bastante.


Sia Bird Set Free
Neon Jungle Trouble (Música Animada)

Alex Clare Relax My Beloved (Suspense)

SINOPSE
Nancy (Blake Lively) é uma jovem médica que está tendo de lidar com a recente perda da mãe. Seguindo uma dica sua, ela vai surfar em uma paradisíaca praia isolada, onde acaba sendo atacada por um enorme tubarão. Desesperada e ferida, ela consegue se proteger temporariamente em um recife de corais, mas precisa encontrar logo uma maneira de sair da água.

FICHA TÉCNICA
DIREÇÃO: Jaume Collet-Serra
ROTEIRO: Anthony Jaswinski
TÍTULO ORIGINAL:  The Shallows
GÊNERO: Suspense
DURAÇÃO: 1hrs e 27min
CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA: 14 Anos
LANÇAMENTO: 25 de Agosto de 2016 (Brasil)

You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook

Flickr Images