Crítica: Queda Livre

11:00

Foto: Adoro Cinema

Oi gente. Tudo bom?!
Tinha bastante tempo que não fazia crítica aqui no blog, mas voltei a frequentar a Netflix e estou assistindo um monte de filmes legais, e hoje vim aqui para comentar um dele com vocês.

Queda Livre apontado como a versão alemã de O Segredo de Brokeback Mountain, o drama premiado em festivais nos Estados Unidos e na Alemanha, além de ter participado do Festival de Berlim, a produção hollywoodiana vem com a temática sobre homossexualidade. Em O Segredo de Brokeback Mountain tem um relacionamento entre cowboys, já em Queda Livre e um romance entre dois policiais partindo de uma questão da infidelidade.

O personagem principal é Marc (Hanno Koffler) é um policial de alta qualidade. Apreciado por todos, tanto pelos superiores e pelos colegas, – principalmente pelo Kay (Max Riemelt) – Marc está no aguardo de uma promoção para ter uma vida melhor com sua esposa grávida do seu primeiro filho, além de sua rotina diária, enfrenta também um turno extra na academia de oficiais, visando melhorar seu desempenho. Neste local ele conhece Kay, um cara que num estalar de dedos vira seu amigo e num piscar de olhos a intimidade entre os dois vão crescendo – um esperando pelo outro para iniciar o treino, dividindo escapadas para fumarem um baseado – até que acontece o beijo. Mas não foi um descuido e sim uma iniciativa gerada por Kay, que acaba revelando o que sente pelo amigo.


A partir daí a vida de Marc vira de ponta cabeça. E o título se faz justo ao filme, e ai que começa a Queda Livre. Marc tenta ir contra a atração de seu colega Kay, mas não dá, a mudança para o seu distrito operacional, os dois se tornam não apenas companheiros de atividades físicas, mas parceiros diários da profissão. Marc não pode se sentir gay, mas ele também não pode negar que está totalmente apaixonado por Kay.

Foto: Adoro Cinema

Stephan Lacant fez um ótimo filme, o que eu mais gostei é que ele não perde tempo em nada, logo nos primeiros 30 minutos acontece o inesperado – o tal beijo – a trama é simples, mas uma vez que o cenário está completo, a realidade se impõe com tamanha intensidade. Preconceitos, choques, e confrontos não são evitados, uma cena que mostra bem isso é quando Marc não tem sua aceitação, é uma cena fortíssima que com certeza tem que ser mencionada, todo mundo sabe que assumir-se gay não é uma tarefa muito fácil e este filme em nenhum momento esconde este fato. A única coisa que eu não gostei neste filme foi o final, eu estava esperando uma coisa, mas veio outra a tona, mas Queda Livre não deixa de ser um filme incrível.

Espero que tenham gostado.
Abraços e até o próximo post.


LUIZ EDUARDO

You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook

Flickr Images