Sobre o Filme: ELA

15:45


Her (Ela)...
Um filme simples que pareceu ser escrito à mão. Parabéns Spike Jonze por dirigir um filme tão legal. O personagem principal do filme é o Theodore Twombly. No começo pensei que Theodore fosse um escritor, mas não é bem assim... Ele é tipo um Bukowski da vida, mas bem mais romântico. A primeira cena já nos chama muito a atenção pois, começa com uma bela história.

Theodore aparece compondo uma linda declaração de amor, pensei que aquela carta era para uma namorada ou algo do tipo, mas acabamos descobrindo que era só parte do seu trabalho na Beautiful Handwritten Letters, que é um site que, manda lindas cartas para clientes que desejam agradar alguém.

Para mim Theodore era completamente um NERD, mas me enganei,..

EQUAÇÃO THEODORE

TRABALHO + PORNOGRAFIA + VÍDEO-GAME + AMIGOS = THEODORE TWONBLY


Mas durante a longa podemos ver que o personagem está tentando esquecer o seu antigo relacionamento com Catherine, com quem manteve uma longa relação amorosa, até que conhece Samantha: um sistema operacional que absorve informações da vida e os sentimentos do personagem. Que irá se apaixonar.

O que me chamou mais atenção no filme foi o toque, apesar de Theodore trabalhar com computador e colocar o seu celular acima de tudo, o personagem passa os dias sem encostar os dedos em nada porque tudo é em comando de voz ou captação de movimentos. TOQUE 0%. E algo bem complicado na vida dele pois, o seu antigo relacionamento era todo cheio de conversas, caricias e amor, já com Samantha e totalmente diferente e a base de comando de voz, jogos, música ou sala de sexo on-line.

O filme e cheio de flashback e com muitos Lights Leaks.


E nesses flashbacks que vem durante o filme, Samantha ocupa a ferida que está no coração de Theodore. No começo Samantha faz bem o tipinho de secretaria... Scarlett Johansson ops! Samantha organiza os e-mails, avisa os compromissos. Porém o sistema operacional veio para ser perfeito, com isso, ela tende a escutar, entender e conhecer o seu dono.

Assim Samantha deseja ser uma pessoa de verdade!!

Seria impossível manter uma relação verdadeira sem a proximidade corporal? O Theodore mostra pra gente que não é bem assim... Samantha e Theodore vive uma relação bem linda, tipo daqueles casais fofos dos filmes de romance (ai ai...), eles conversam bastante, tem DR's e até fazem sexo (que pra mim foi uma das melhores cenas :D) e também fazem uma viagem juntos... eles parecem um casal normal.

Uma parte que me chamou bastante atenção e quando Samantha pergunta pra Theodore de... Como é estar casado?



Samantha — Como é estar casado?
Theodore — É algo que você se sente bem em compartilhar sua vida com alguém.
Samantha — Como você compartilha sua vida com alguém?
Theodore — Era emocionante… Nós crescemos e mudamos juntos. Mas essa é a parte mais difícil. Crescer com ela se afastando, mudar sem assustar o outro. Ainda converso com ela na minha cabeça, revendo alguma briga, defendendo-me de algo que disse de mim…”

Essa parte tocou o meu coração <3. Mas eu vou frisar uma coisa... Nem todo o FINAL E FELIZ!

------------------------------------------------------------------------------------------------

O que pude concluir??

Nós aprendemos com Her (Ela) que o mundo sempre está em transformações e que podemos sofrer com elas, tanto pelo meio físico ou tecnológico e sobre o vazio que pode vir nos abraçar durante o tempo.

SIM, esse é um filme que te faz sair do cinema com vários pensamentos na cabeça, e que te faz a seguinte pergunta... Será que tem alguma semelhança comigo? Pois bem, o filme nos faz refletir de que nós somos seres imperfeitos, amantes de tecnologia, e que nos se apaixonamos de corpo e alma, mas que ainda morremos de amores por cartas escrita à mão.

Espero que vocês tenham gostado.
Abraços e até o próximo post :D


Post feito por:
Luiz Eduardo

You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook

Flickr Images