Garoto do Passado - Estranha

21:15


Você é estranha. Eu não te entendo, eu não entendo nada do que você fala, faz e principalmente do que sente. Mas você me faz ficar, e isso basta. Não sei se é bom, se é ruim, se prejudica ou se me revigora. Não sei de nada, como disse, eu não entendo nada. Só sei que me encaixa, mesmo não sendo a sua peça perfeita, me encaixa. E que você com todos esses seus erros estúpidos, me faz perceber que eu também erro, erro por você. Erro pra você, e que eu aprendo com esses erros, aprendo contigo, com tudo. E você, por ser ingênua, acha que apenas amar basta. E é por isso que eu não te entendo, porque você diz que me ama, mas não demonstra. Você é um mistério a ser desvendado, mas falta quem desvende. Porque minha falta de capacidade não permite, e porque você não deixa pistas. Mas eu sei que no nosso mundo, a gente se entende de alguma outra forma. E você se isola, desacredita e some. Me joga fora, mas consegue me fazer voltar. E eu também não entendo isso, não sei se você gosta de brincar comigo, ou se você é confusa demais

E é isso, é tudo isso. E por mais engraçado que seja, a gente mata a saudade quando quer. Mas mesmo matando aquela saudade de algumas horas, conversando contigo ainda falta alguma coisa que eu não sei o que é. Eu não sei, mas eu sinto. Assim como eu sinto que te amo, mas não sei o porquê. Não sei porque a gente ainda continua nessa besteira, mas também não sei porque eu penso em acabar. Aliás, não sei nem se eu penso em acabar ou continuar. As vezes tá tão bom que eu prefiro me prender no tempo, e as vezes tá tão ruim que eu prefiro dar um salto de duzentos anos pra frente. A gente se gosta, ou se ama. Mas isso não é suficiente, eu acho. Eu acho que eu não sou suficiente, ou você que tem conteúdo demais pra me ocupar. Acho que você é uma pessoa boa demais pra tão pouco como eu, ocupar seu coração. Ou você não vale nada, e não possui conteúdo a ser preenchido. Mas tanto faz pra mim, eu te amo, mesmo com esse mistério, mesmo com essa besteira infinita. Mesmo com todos esses porquês, até mesmo com minha falta de entendimento sobre você, eu, nós. E isso me faz pensar, me acalma. Me acalma porque você é a minha calma, mas também é o meu sufoco, em certos casos. Como dizem, você é a minha ferida, mas também é a minha cura. É, eu acho que é isso. É como se eu fosse feito pra você, mas você não fosse feita pra mim. São duas peças que se encaixam por acaso, mas são de quebra-cabeças diferentes. E é por isso que há todo esse mistério. Você me faz ir embora, mas por incrível que pareça, consegue me fazer voltar também.

__Gabriel Malaquias  (via hiems)


Texto escrito por Garoto do Passado.

You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Like us on Facebook

Flickr Images